Como tudo começou

Eu sempre me considerei uma pessoa bem normal. Cresci nesse mundo onde somos incentivados a fazer o básico. O objetivo do jogo é simples: estude muito, vá para a faculdade e consiga um emprego estável em uma grande empresa. E pronto, você venceu.

Infelizmente, não somos aconselhados a perseguir os nossos próprios sonhos – nem a sonhar demais. Pelo contrário, somos ensinados a viver uma vida segura, batalhando pelo o sonho de outras pessoas. Que jogo sem graça, não?

Eu vivi nesse caminho por muitos anos. Eu fazia exatamente o que era esperado de mim, e era bom nisso. Até que, um dia, procurando inspiração para um discurso de formatura, me deparei com um anúncio no YouTube. E este anúncio mudou totalmente minha perspectiva sobre como eu caminhava pela vida.

O anúncio que me fez questionar tudo

Em suma, o anúncio vendia uma promessa simples: “como ter uma vida melhor”. Bem genérico, não é? Também pensei. Nada de diferente ou esclarecedor. Mas, por alguma razão, a forma que a mensagem era passada me chamou muita atenção. Sou grato a isso até hoje.

Era como se o vendedor estivesse falando diretamente comigo, narrando os meus problemas e apontando soluções que faziam todo o sentido para mim. Ao fim, eu obviamente tive que clicar no anúncio e saber mais sobre o que ele dizia.

Aquele anúncio foi uma quebra de paradigma na minha vida, e me fez partir em busca de novas visões e ideologias. Eu comecei a devorar livros e biografias de grandes mentores e personalidades que passaram pelo mundo. Passei a questionar tudo o que eu estava fazendo e que tipo de pessoa eu queria ser. Apenas mais um navegando pela vida? Ou alguém que estava disposto buscar a sua própria visão e viver o seu próprio jogo?

A segunda opção me soava muito melhor. Mas isso implicava em mudar toda a trajetória da minha vida até ali. Foi um um momento apavorante. Mas era tudo ou nada. Eu sabia que viveria uma vida de miséria se escolhesse a primeira opção.

Tudo ou nada – Minha missão

Então, a primeira questão era: “porque exatamente apostar no marketing digital – e não na jardinagem?”. Como engenheiro, eu não tinha grandes experiências em nenhum dos campos.

A resposta, porém, parecia óbvia para mim. Eu sabia que a minha missão de vida – de empoderar pessoas, ajudando-as a encontrarem e realizarem as suas próprios missões – seria amplificada pelas mídias sociais e tudo que envolve o marketing digital. Hoje, graças à Internet, nossa mensagem pode ir mais longe.

O desafio da escolha 

A segunda questão era: ˜como eu vou aprender marketing digital?”. Faria outra faculdade? Faria uma pós-graduação? Quanto mais eu pesquisava sobre os diferentes cursos, mais eu me desanimava. Eu não via sentido em professores de marketing com estratégias ultrapassadas tentando ensinar mídias sociais aos jovens adultos desta geração. Eu buscava conteúdo atual, o que há de melhor no mercado, as melhores práticas, e eu nao iria encontrar isso nas faculdades – ao menos não no Brasil .

“A resposta para sua pergunta é vendida na Amazon” essa frase é de uma pessoa pela qual tenho muito respeito. Levei-a a sério e novamente devorei todo o conteúdo disponível a respeito de marketing digital e vendas. Investi em cursos de grandes mentores do marketing de mídias sociais, como Tai Lopez e Neil Patel. Cursei também o Nanodegree da Udacity de Marketing Digital. Em pouco tempo, comecei a desenvolver alguns projetos pequenos para alguns clientes, a fim de testar tudo que aprendi. E funcionou! Havia valor no meu conhecimento, e ele só crescia.

Um novo caminho

Recentemente, deixei meu emprego e montei minha própria agência de marketing digital especializada em mídias sociais. Continuo aprendendo grandes lições, as quais quero compartilhar com o mundo, para que todos, pessoas e negócios, sejam capazes de buscar sua própria missão e seu propósito, e espalha-los pelo mundo.

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest